Desde que foi anunciada pela NetflixSanta Clarita Diet teve uma interessante trajetória. Pouquíssimo foi revelado sobre a série quando ela foi anunciada, já trazendo Drew Barrymore Timothy Olyphant no elenco, além da curta e críptica sinopse. Foram apenas alguns meses entre o primeiro anúncio e a estreia, mas descobrimos muito nesse meio tempo – inclusive que se tratava de uma comédia de zumbi.

A trama é simples e acompanha Sheila (Barrymore) e sua família, composta por ela, Joel (Olyphant) e Abby (Liv Hewson), em um complicado período em suas vidas. Inicialmente, ninguém sabe ao certo o que está acontecendo e a palavra zumbi é usada com muita cautela – até porque a situação é muito nova para todos os envolvidos e a transformação de Sheila não se encaixa exatamente nos moldes da mitologia zumbi que conhecemos. Mas a jornada não deixa de ser muito interessante.

Na pacata Santa Clarita, cidade do subúrbio de Los Angeles, Sheila e Joel são basicamente a representação da tranquilidade. Ambos são corretores de imóveis e vivem vidas tranquilas, até que um dia muda tudo. Depois de passar mal pela manhã, Sheila vomita tudo – inclusive seu coração – e morre, virando uma morta-viva bem inusitada. Ela se sente melhor, mais ativa, com mais energia e disposição. O problema é que tudo isso vem da sua nova alimentação: carne humana.

O mais divertido de Santa Clarita Diet é que ao mesmo tempo que a série se baseia na realidade, ela foge ligeiramente dela. Introduzindo elementos bizarros que necessitam de uma certa liberdade criativa, a produção apresenta cenários absurdos que não necessariamente passariam despercebidos na vida real, mas funcionam no contexto proposto.

Além da trama de Sheila, a série mostra também como sua transformação acaba mudando a vida de Joel e Abby, que começam a perseguir novos rumos. Confuso, Joel quer ajudar a esposa, indo atrás de possíveis curas e tentando entender a nova realidade do seu relacionamento, ao mesmo tempo que tenta manter a unidade familiar intacta. Abby, por sua vez, se inspira com a nova e impulsiva mãe, matando aulas e buscando algo que a complemente como pessoa.

Santa Clarita Diet não economiza em nenhum sentido, trazendo uma abundância de sangue e palavrões que tornam as situações ainda mais engraçadas. Ao longo de seus dez episódios, a série dedica-se a mostrar a realidade de uma zumbi vivendo em meio a humanos, com direito até a dor na consciência com relação à vítima. Em nenhum momento o casal acha que está fazendo o certo ao matar pessoas em prol de Sheila, mas sempre há uma solução ou justificativa.

Divertida, descontraída e sem se levar a sério em nenhum momento, Santa Clarita Diet é uma boa novidade no catálogo da Netflix. Só tome cuidado se você tem estômago fraco, nem todo mundo aguenta ver o que a série tem a mostrar.